sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Uma semana fora...


... pra eu curtir isso:


video


E isso:

video

E também isto:

video

Como eu quero que amanhã chegue logo! Eu preciso mesmo de um tempo pra descansar. Era para janeiro ser férias, mas eu tô trabalhando duro desde o Reveillon! =P

Desejo que vocês curtam o verão (ou o inverno) tanto quanto vou curtir o meu. ;-)

Creditos: todos os vídeos são by Sander. Obrigada!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Parque Municipal


"Promessa é dívida", diz o ditado popular. Então, cá estão mais fotos de Beagá.


Parque Municipal tá na memória da maioria daqueles que, como eu, passaram sua infância aqui. Entretanto, quanto mais velha eu fico, mas eu gosto dele. Diferente de qualquer coisa em Belo Horizonte, é uma mancha verde no meio do caos e a bagunça reinante no centro da cidade. Embora você ainda consiga ouvir o trânsito barulhento, se você se envolve na atmosfera bacana do parque, você provavelmente vai esquecer as buzinhas estridentes de lá de fora.


Construído no estido da Belle Epoche, o conceito original era similar ao do Central Park em Nova Yorke. Porém, um prefeito muito "visionário" vendeu mais da metade da área do parque para que fossem construídos prédios comerciais e hospitais em uma das áreas mais caras da cidade... 


Além dos jardins, também há uns parquinhos e (coff... coff...) alguns brinquedos para as crianças. Curiosamente eles são precisamente os mesmos de quando eu era uma criança, o que já faz um bom tempo... hehe. Mas as crianças os adoram mesmo assim, o que é algo que s pais e educadores deviam se lembrar com mais frequência - as criançs precisam (e gostam!) de coisas simples. =) 


Em sentido horário:

  1. Raio: poneis escravisados, nos quais os meus pais nunca me deixaram cavalgar, porque uma corridinha chatésima custa uma fortuna. 
  2. Pensando: Carrinho de pipoca e máquina de fotos instantâneas - dois clássicos do parque, que eu nunca usufruí também. O primeiro devido a falta de higiene (e minha mãe é enfermeira). O segundo, porque é mais caro que uma viagem a Marte e o meu pai tinha uma câmera excelente, com a qual gostava de tirar suas próprias fotos. 
  3. Coração: este era meu brinquedo favorito e se chama "Estrela". Nada muito empolgante - só gira rápido (pra uma criança) e sobe e dece, então era o meu equivalente aos esportes radicais. 
  4. Estrela: outro favorito. Chamado "Castelão" - auto-explicativo, né? 
Infelizmente eu não fui muito ao Parque Municipal por anos a fio, por causa da sua má fama de violência e assaltos. Mas parecem que as coisas estão melhores agora. \O/ 


Você pode ver mais fotos do Parque Municipal aqui. =) 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Novo Livro Favorito


A Engenhosa Letícia do Pontal, de Carlos Nejar. Guardem este nome que futuras gerações sempre se lembrem dele!

O curioso é que este foi um livro dado por um amigo há alguns anos, mas que eu nunca havia lido, porque sempre haviam outras prioridades de leitura. Daí eu me dei conta que eu tinha que lê-lo agora, porque não ia levá-lo comigo. E o Rodrigo, que me deu o precioso, é o tipo de pessoa pra quem eu dou muita moral se ele me aconselha ler alguma coisa.

Entonces, agora este se tornou o meu livro favorito de todos os tempos. Mais favorito do que Fausto, ou Wherther, de Goethe, o que é muita coisa. Não é lá aquele livro fácil de ler, com certeza. Prosa, que você deve ler como poesia. As vezes as metáforas são tão poderosas, que eu tenho de parar pra respirar, antes de seguir a leitura.

Não sou D. Quixote ou Dulcinéia. 
Apenas a Letícia de Pontal [...] 


Lutando contra o universo, Percival. 
E tendo em cada ser, por sua guerra, 
A espada de dois gumes sobre a sela, 
E o arsenal de sonhos por aval. 


Pra quem se interessar, o livro é da Editora Objetiva e a minha edição é de 2003.

Da próxima vez, eu prometo: mais fotos de Beagá. ;-)


sábado, 14 de janeiro de 2012

Tchau, tchau, Mercado Central


Mercado Central é o que outras cidades chamam de Mercado Municipal ou Mercado público. Provavelmente é o lugar que eu mais gosto por aqui, mas o que eu acho que vou sentir menos falta. Alguém advinha porque? =P 


Normalmente eu vou ao Mercado Central por causa da qualidade e variedade dos produtos oferecidos. Ingredientes que não se costuma encontrar em outros lugares - ou ingredientes que seria mais barato comprar em grandes quantidades.



Entretanto, eu tenho que confessar que também sinto um imenso prazer em inspirar aquele cheiro maravilhoso de temperos - ou descobrir uma nova erva. Gosto muito de experimentar com temperos, e a comida do dia-a-dia por aqui tem alho como tempero principal (quando não é o único, além do sal).


Mas o Mercado Central também oferece outras coisas que não são de comer - ou beber. Algumas são úteis... 


 ... outras bem inúteis ... 


... embora todas sejam muito legais! =)



Aqui é a minha seção favorita. Tchanan!!! Um monte de Queijo Minas - definitivamente o melhor do mundo. =P



Na visita de despedida, eu até fui na seção dos animais, que eu detesto até mesmo passar por ela. Tem um cheiro horrível e o tratamento das pobres criaturas não é dos melhores... 


Sinto muito pela má qualidade das fotos. Em primeiro lugar, eu estava totalmente travada, com as pessoas me olhando como se eu fosse um alienígena, com minha arma letal: a câmera fotográfica. E além disso, o talento fotográfico é zero. =P

Se quiser ver outras fotos do Mercado Central, visite AQUI.


terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Começando os tchaus


Comprei as passagens. Se eu ainda precisasse de mais alguma certeza, agora taí: é hora de começar a dizer tchau pra muita gente - e pra um monte de coisas.

Eu gosto de dar adeus direito. Facilita muito a adaptação e os recomeços. Começando, então com a minha cidade, pra qual eu sei não vai dar nem pra dizer "té mais ver" - quando eu voltar, vai estar irreconhecível depois de toda essa maquiagem pra Copa do Mundo.


Fiquei a matutar nisso quando eu me perdi (é, eu vivo aqui já fazem 28 anos, mas ficar perdida é parte de quem eu sou), e dei de cara com a badalada sorveteria "São Domingos", famosa por ter o melhor sorvete da cidade, mas um lugar que eu nunca tinha estado. Porque não... agora? - pensei com meus botões.

Motivo: uma casquinha custa CINCO reais.

A fachada ladrilhada me encarou me enfeitiçando, então eu entrei. Uma coisa boa desse negócio de dar tchau é que pela primeira vez na vida eu não tive dúvidas quanto ao sabor que eu ia pedir: pistache.

Os cinco reais valeram a pena: o segundo melhor sorvete da minha vida (a dupla manga&chocolate que comi em Berlim permanece imbatível, mas também,cada bola de sorvete custava três euros...). Mais: me fez pensar, enquanto eu saboreava aquela gostosura, sobre as coisas da cidade, da qual eu gostaria de dizer adeus. Então, aí vai uma listinha:


5 coisas pra fazer e dar tchau (e benção!) pra cidade

1 - Fazer um tour pela cidade e tirar minhas próprias fotos (na verdade, roubei essa idéia do Thomas, há uns anos atrás);
2 - Ir ao zoológico e ao Jardim Japonês;
3 - Ir ao Parque Mangabeiras e fazer um picnic;
4 - Ir a Praça da Liberdade (Liberty's Square) e ao Parque Municipal - meus lugares favoritos;
5 - Ir a Feira Hippie e ao Mercado Central - feira e mercado artesanal.

E lá vamos nós!

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012